terça-feira, 6 de março de 2018

JEFFERSON PORTELA DEBATE PLANO DE SEGURANÇA INTEGRADO COM SECRETÁRIOS DA SEGURANÇA E JUSTIÇA DO NORDESTE


O Secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela, participou na última segunda-feira (5), em Teresina, capital do Piauí, de uma reunião com os demais Secretários da Segurança e da Justiça dos estados da região nordeste para discutir a criação de um Plano Regional de Segurança. A intenção é integrar esforços de todos os estados para combater o índice de criminalidade na região que possui a segunda maior população do país.
Em outras palavras, o projeto de segurança integrada, que já é desenvolvido na gestão do atual governo do Maranhão sob a administração do Secretário Portela, seria ampliado aos estados do Piauí, Ceará, Alagoas, Bahia, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe visando uma ação mais forte e estratégica sobre problemas comuns entres os estados, destaque para o combate ao crime organizado.
Na pauta, ainda foi discutido o conteúdo da Carta de Teresina e Minuta de Acordo de Cooperação. A primeira deve ser apresentada aos governadores no Nordeste para uma avaliação durante os Encontro de Governadores do Nordeste, que acontece nesta terça-feira (6). Ficou acertado que pelo menos, 17 itens apontados na carta seriam considerados como prioritários e que devem ser combatidos com respostas de curto, médio e longo prazo.
Fundo em Prol da Segurança
Na reunião, o destaque foi a ação proposta pela instância de estados nordestinos de criar um fundo, com previsão de receita nova R$ 20 milhões, advinda da arrecadação de impostos no mercado de jogos de azar, que atualmente tramita no Congresso Nacional. O objetivo de desse fundo seria o financiamento de políticas interestaduais de segurança, desde o reforço nas divisas estaduais até a circulação de armas e drogas na região.
O Secretário Jefferson Portela, que também exerce o cargo de Presidente do Colégio Nacional de Secretários Estaduais de Segurança Pública (Consesp) concluiu que a reunião foi um intercâmbio de projetos de segurança e que o plano de segurança pretende desestabilizar as condições econômicas do crime organizado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.