Ultimas

sexta-feira, 10 de maio de 2019

“No Maranhão, bandido não faz carreira”, diz o coronel Ismael Fonseca, comandante da Polícia Militar do Maranhão



É temerário colocar armas de fogo nas mãos de pessoas não habilitadas. (Ismael Fonseca)

JM Cunha Santos

Em entrevista ao programa “A Voz do Parlamento”, apresentado por Josélia Fonseca na rádio web da Assembleia Legislativa, o novo Comandante da Polícia Militar do Maranhão, Ismael Fonseca, registrou que seu maior desafio nesta nova função, (até então ele comandava o Centro Tático Aéreo - CTA), é trabalhar no sentido de reduzir ainda mais os índices de criminalidade no Estado, conforme são as metas traçadas pelo governador Flávio Dino e pelo secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela.
O comandante Ismael Fonseca lembrou que há anos o efetivo policial do Maranhão estava defasado sendo, proporcionalmente, o menor do país e que os investimentos em segurança pública dobraram no governo Flávio Dino, saindo de R$ 600 mil e chegando 1 bilhão e 200 mil reais no ano de 2018.
Mas tudo não se resume ao aumento do efetivo. “Ao contrário de outras profissões, em se tratando de polícia é preciso investir também em capacitação e qualificação do policial e o Flávio Dino tem a vantagem de ser um governador que ouve os técnicos em cada área antes de tomar decisões” afirmou.

CRIMINALIDADE MUTANTE

Para o coronel Ismael Fonseca, o desafio de reduzir a criminalidade vem do fato de que ela é mutante e faz de tudo para burlar o sistema penal e o sistema de segurança, inclusive através de migrações de um crime para outro. E um primeiro projeto do novo comandante da PM é informatizar o poder de polícia nos 217 municípios do Estado, inclusive em povoados distantes dos centros de decisões, de formas a facilitar o combate ao crime e ao crime organizado.
Ao registrar que faz anos não temos notícias de rebeliões em Pedrinhas, o comandante Ismael Fonseca lembrou que foi ele o primeiro interventor naquele Complexo Penitenciário nos anos terríveis de 2013 e 2014, quando o Maranhão assustou o mundo com a ocorrência de decapitações, esquartejamentos, fugas e rebeliões constantes nas cadeias públicas do Estado.
Um dos destaques feitos pelo comandante da PMMA foi o exaustivo combate a assaltantes de bancos e caixas eletrônicos. Segundo ele, 9 quadrilhas tombaram em confronto com as forças policiais, mais de 300 assaltantes de bancos estão presos e um enorme montante de dinheiro foi recuperado. “No Maranhão, bandido não faz carreira”, orgulha-se o comandante.

ARMAS E MUNIÇÕES EM PODER DE CIVIS

Sobre o projeto do Governo Federal que flexibiliza o porte de armas e garante até o uso de armas de fogo carregadas em via pública a determinadas categorias profissionais, o coronel Ismael Fonseca disse que a primeira pergunta que se faz é: “Será que essa sociedade está preparada para isso? E exemplificou que na própria PM o profissional de polícia não chega pronto, ele vai precisar ser instruído para o uso de armamento e tiro, o que depende de treinamento, prática constante e muita orientação. “Colocar uma arma nas mãos de uma pessoa não habilitada, é uma temeridade”, disse mostrando que para reduzir em 72 % o número de homicídios entre 2014 e 2018, as polícias, bem orientadas, não precisaram fazer uso exagerado de armamentos no Maranhão.

 
Copyright © 2019 Nilson Figueiredo
Traduzido Por: Luzimar Rodrigues